Gigante da indústria farmacêutica, Teuto paga só 2,24% de impostos para Goiás

Segundo dados da CPI dos Incentivos Fiscais, a Teuto, gigante da indústria farmacêutica (representada nesta segunda-feira na CPI por Luiz Lira Pinheiro), praticou uma carga tributária ridícula nos últimos cinco anos: 2,24% graças aos incentivos fiscais. O faturamento foi de R$ 3,8 bilhões e o ICMS pago foi de R$ 84 milhões. Vale dizer que qualquer microempresa do Brasil paga alíquota de 5% no mínimo.