Salto alto dos secretários e paralisia política do prefeito Gustavo Mendanha animam a oposição em Aparecida

Começou a entrar areia no ventilador do prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha (MDB).

O salto alto dos secretários municipais e a paralisia política de Mendanha estão abrindo espaço para a oposição, que se anima para 2020 com um ingrediente de peso: o apoio do governador Ronaldo Caiado, interessado em quebrar a hegemonia do MDB na cidade.

Cercado por secretários com fama de arrogantes, como André Rosa e Fábio Passaglia, este último enrolado em processos que apuram irregularidades administrativas, o prefeito emedebista faz uma gestão fria e distante da população.

Mendanha vem perdendo fôlego no projeto de reeleição devido a uma paralisia política que marca a sua gestão. Não há fato novo e está se cristalizando a imagem de ele que é um gestor acomodado, incapaz de se reinventar e ainda submetido às rédeas do ex-prefeito Maguito Vilela.

De resto, pesam também o abandono dos bairros e o pouco volume de obras.

Ao contrário do que se pensa, a reeleição de Mendanha é de alto risco e a vida do MDB começa a se complicar em Aparecida de Goiânia.