Lêda Borges propõe política de incentivo a feiras de produtos veganos e vegetarianos

Está em tramitação na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) o projeto de lei nº 6005/19, de autoria da deputada Lêda Borges (PSDB), que propõe a implantação de uma política estadual de incentivo às feiras de produtos veganos e vegetarianos em Goiás. Aprovada preliminarmente em plenário, a propositura está em discussão e votação na Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ).

“A proposição que ora oferecemos à discussão desta Casa Legislativa visa estimular a ampliação do número de feiras com produtos veganos e vegetarianos em todo o Estado de Goiás. Temos algumas já no município de Goiânia, mas ainda existe a possibilidade do crescimento deste tipo de produtos a serem comercializados”, ressalta Lêda ao justificar a iniciativa.

Ela acrescenta que nos últimos tempos tem crescido, no mundo inteiro, o número de pessoas que buscam qualidade de vida através de uma alimentação mais saudável. Por outro lado, existe anota, a preocupação em relação aos prejuízos que o consumo de alimentos tratados quimicamente pode trazer à saúde. Nesse contexto, os produtos veganos e vegetarianos se apresentam como uma opção de alimento saudável, livre de agrotóxicos ou qualquer outro produto químico.

Argumenta também que o mercado de produtos veganos atinge uma parcela crescente da população que busca reduzir o consumo de carnes, leite/derivados e ovos, incluindo aqueles com algum grau de intolerância à lactose, que já atinge 70% dos adultos brasileiros. “Não obstante, importante frisar que o conceito de alimento vegano ou vegetariano não se resume apenas a alimento isento de contaminantes; ele faz parte de um contexto muito mais abrangente”, registra a parlamentar.

Segundo Lêda, a realização de feiras de produtos veganos e vegetarianos pode trazer ao Estado de Goiás um círculo virtuoso, pois na medida em que houver mais feiras, a demanda por estes produtos certamente aumentará, o que, consequentemente, estimulará uma produção maior, resultando por sua vez em mais emprego e renda à população.

E conclui: “Desse modo, o incentivo à realização das feiras de alimentos veganos e vegetarianos por todo o Estado de Goiás produzirá reflexos para a saúde da população, para o meio ambiente e, também, para o desenvolvimento econômico”.