Presidente da Câmara defende punição a Eduardo Bolsonaro por apologia à ditadura

O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) divulgou uma nota em reação à declaração do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, Jair Bolsonaro, em que afirma que se “a esquerda radicalizar”, a resposta do governo poderá ser “um novo AI-5”.

“Uma Nação só é forte quando suas instituições são fortes. O Brasil é um Estado Democrático de Direito e retornou à normalidade institucional desde 15 de março de 1985, quando a ditadura militar foi encerrada com a posse de um governo civil. Eduardo Bolsonaro, que exerce o mandato de deputado federal para o qual foi eleito pelo povo de São Paulo, ao tomar posse jurou respeitar a Constituição de 1988. Foi essa Constituição, a mais longeva Carta Magna brasileira, que fez o país reencontrar sua normalidade institucional e democrática”, declarou Maia na nota.(Brasil 247)