INSS desativa Agência Goiânia Leste: com carência de pessoal, governo fecha postos em vez de realizar concurso público

Enquanto mais de 2 milhões de brasileiros e brasileiras aguardam na fila pela liberação de benefícios junto ao Instituto Nacional da Seguridade Social (INSS) – cerca de 40 mil somente em Goiás – o governo tem um jeito bizarro de lidar com a crise provocada pela escassez de servidores públicos na autarquia: o fechamento de agências de atendimento ao público.

A próxima que deve cerrar as portas em Goiânia (GO), é a agência da Previdência Social Goiânia Leste, localizada no Setor Universitário.

A informação é do diretor de Organização e Política Sindical do Sindicato dos Trabalhadores Federais em Saúde e Previdência dos Estados de Goiás e Tocantins (Sintfesp – GO/TO) Mauro Oliveira Mota.

“Praticamente todas as agências do INSS estão funcionando de forma precária por falta de servidores. Na APS Aparecida de Goiânia, localizada no Setor dos Afonsos, por exemplo, dos 14 guichês, só 4 estão funcionando assim mesmo porque o chefe da agência também está atendendo ao público”, conta o sindicalista.

Sem se preocupar com a quantidade exorbitante de benefícios represados – aposentadorias, auxílios doença, salários maternidade, entre outros -, o governo federal já anunciou que até junho deste ano irá fechar 500 das cerca de 1,7 mil agências do INSS em todo o Brasil, o que deve acarretar prejuízos incalculáveis à população.