“Vamos resolver definitivamente o problema da água de Anápolis”, afirma Roberto Naves sobre novo contrato com a Saneago

Ao todo devem ser investidos R$ 600 milhões em obras de saneamento na cidade de Anápolis. “Depois de muitos estudos e planejamentos, entendemos que o melhor caminho era renovar o contrato com a Saneago. Mas não a “velha” SANEAGO que todos nós anapolinos conhecemos. Uma nova empresa, que vai investir 600 milhões de reais em Anápolis”, aponta Roberto Naves.

Pelo contrato assinado, 85% dos recursos deverão ser alocados já na primeira década – R$ 278 milhões só nos primeiros cinco anos. “Este contrato estipula metas e prazos, mostra um novo cronograma de uma nova empresa, que tem a responsabilidade de cuidar da água tratada e do esgoto do povo goiano. E não ser base de política, de corrupção e, muito menos, de campanhas eleitorais”, assinalou o governador Ronaldo Caiado (DEM).

Atualmente, Anápolis já conta com a universalização dos serviços de água, mas é necessária a criação de uma barragem para diminuir os riscos de escassez do recurso durante o período da estiagem, o que foi assegurado pelo presidente da Saneago, Ricardo Soavinski. Estudos hidrológicos para definir o local onde será feito o barramento estão em fase de conclusão.

Algumas benfeitorias, entretanto, já estão com projetos prontos e com a licitação planejada. São os casos da ampliação da Estação de Tratamento de Água, interligação de 17 poços, e melhorias nas captações do Capivari e do Piancó, que ampliarão a vazão captada de 860 para 1.010 litros por segundo. Também estão previstas ações de preservação ambiental nesses e em outros rios.

Em relação à coleta e tratamento de esgoto, 70% da cidade estão cobertos por esses serviços. Faltam ainda 50 mil ligações para a universalização, sendo que região Oeste de Anápolis é a mais carente no momento. Vale lembrar que a fiscalização dos serviços prestados pela Saneago ficará sob a responsabilidade da Agência Goiana de Regulação e Serviços Públicos (AGR), como ocorre na Capital.

Roberto Naves informou que a decisão de renovar o contrato com a Saneago baseou-se em levantamentos prévios, que descartaram as hipóteses de municipalização e privatização. Ainda de acordo com o prefeito, para mitigar as possíveis consequências de uma estiagem prolongada, já existem ações planejadas pela Saneago. Entre elas, três elevatórias para que a água possa alcançar os bairros mais altos da cidade.