Motoristas de ônibus podem parar em Goiânia

Não houve acordo na reunião de conciliação entre o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo da Região Metropolitana de Goiânia (SET) e Sindicato Intermunicipal dos Trabalhadores no Transporte Coletivo Urbano de Goiânia e Região Metropolitana (SindColetivo). A mediação foi realizada na terça-feira (10), na sede do Ministério Público do Trabalho (MPT).

Os motoristas pedem 15% de reajuste para 2020, além de uma nova convenção coletiva com mais de 50 pontos. O SET fez uma contraproposta de aumento para 3.75% e propôs manter o acordo que está em vigor, firmado com o Sinttransporte, que representava os motoristas.

Sem acordo, o SindColetivo alerta para o risco de paralisação no transporte público. O sindicato diz que não há data para que um indicativo de greve seja colocado em apreciação em assembleia. Contudo, de acordo com o presidente Sérgio Araújo, a insatisfação entre os motoristas é grande.