Queimado na base caiadista, Baldy terá dificuldades para emplacar projeto em 2022

Alexandre Baldy quer ser candidato a senador ou a vice-governador na chapa de Ronaldo Caiado em 2022. Mas é praticamente impossível ele emplacar esse projeto: Baldy está queimado na base caiadista pelo seu histórico político.
Ele foi lançado na política pelo ex-governador Marconi Perillo. Em 2018, traiu o marconismo, aliou-se a Vanderlan Cardoso e apoiou Daniel Vilela contra Caiado. No início da atual gestão, atacou o governador e só mudou o discurso quando fez acordo e indicou o irmão para ser secretário de Cultura.
Além disso, a maioria do prefeitos do PP em Goiás são adversários ferrenhos do grupo caiadista. É o caso de Rafael Melo em Ceres e Pedro Fernandes em Porangatu, ligado ao tucano Júlio da Retífica. Essa situação se repete na maioria dos municípios.
Tudo isso conspira fortemente contra as pretensões políticas baldinianas e são praticamente intransponíveis.
Resumo da ópera: Baldy está queimado na base governista e não terá espaço na chapa majoritária.