No Giro, Osmar Magalhães anuncia barganha política na reforma do secretariado para conseguir apoios na Câmara. É o fim da picada

É muito descaramento.

Sem o menor pudor, o Paço Municipal admite que vai usar a reforma do secretariado para recompor a base do prefeito Paulo Garcia na Câmara de Goiânia.

Em português claro, quer dizer que vai fazer barganha de cargos da Prefeitura para obter apoios de vereadores.

O famoso e condenável toma-lá-dá-cá.

O que impressiona é a turma da Prefeitura admitir publicamente e sem escrúpulo algum que vai lançar mão do reprovável expediente.

É o que diz a nota principal do Giro desta quarta-feira.

Veja:

Paço deve aproveitar reforma do secretariado para recompor sua base

Diante das dificuldades para conseguir aprovar projetos de seu interesse na Câmara de Goiânia, como ficou evidenciado na tramitação do reajuste do IPTU e da desafetação de áreas públicas, o Paço Municipal trabalhará para fazer da troca de seu secretariado um instrumento para recompor sua base aliada no Legislativo. Apesar de não ter data definida, a tendência é de a reforma do secretariado acontecer antes do retorno das atividades da Câmara, previsto para 18 de fevereiro. Nos bastidores, a cúpula do Paço reconhece não ter mais condições, com a composição atual, de garantir que a provação de matérias consideradas polêmicas. Mesmo sem adiantar quando as mudanças serão feitas, o secretário municipal de Governo, Osmar Magalhães (PT), reconhece que a tendência é de grande mudança. “A recomposição poderá ser feita com o afastamento de secretários que vão disputar as eleições. O prefeito não definiu quem (sai) nem quando (será feito). Mas a reforma tende a fortalecer o projeto de base”, diz o petista.