Saúde no lixo: por falta de médicos, Cais de Campinas deixa de atender emergências

Eis aqui mais uma evidência de que o prefeito Iris Rezende (PMDB) e a sua secretária de Saúde, a hiper-arrogante Fátima Mrué, jogaram a Saúde pública na lata do lixo: de acordo com o Jornal Opção, o Cais de Campinas suspendeu o atendimento de casos de emergência porque não havia médicos.

“Os médicos que estão trabalhando estão atendendo a demanda interna, que é de cerca de 40 pacientes, as crianças, os queimados, os casos de hemodiálise e os pacientes gravíssimos tragos pelos bombeiros e pelo Samu”, explicou o diretor geral da unidade, Devalmir Oliveira dos Santos, ao Jornal Opção.

“É revoltante a gente procurar ajuda, socorro médico e não conseguir atendimento. Não temos dinheiro para ir para outra unidade de saúde, viemos de ônibus, o jeito vai ser voltar para casa”, afirmou a estudante Camila Ribeiro Moraes, ouvida pela jornalista Rafaela Bernardes.

Clique aqui para ler a reportagem completa no site do Opção.