AD

Eleição da Câmara: Caiado desautoriza vereadores aliados e diz que não vai interferir na sucessão 

No mesmo dia em que o vereador Milton Mercez (PRP) defendeu a ingerência do senador e governador eleito Ronaldo Caiado (DEM) na eleição para a mesa diretora da Câmara de Goiânia, interlocutores do demista desautorizaram publicamente seus aliados a tratarem do assunto. O puxão de orelha foi dado por meio da coluna Giro do jornal O Popular, depois que o blog repercutiu declaração de Milton em defesa da interferência de Caiado na sucessão em reportagem publicada na edição desta semana do jornal Opção.

Na nota do Giro, intitulada “recado”, o jornal informa que “aliados de Caiado asseguram que ele não vai intervir na disputa para a presidência da Câmara de Goiânia, como dizem vereadores”. A razão é óbvia e simples, conclusão de qualquer iniciante no processo político: o governador eleito “não quer” – e nem deve mesmo – “interferir na relação com o Paço”.

O 24Horas destacou a defesa de ingerência política feita por Milton Mercez em entrevista ao Opção. “O vereador revelou, em entrevista ao Jornal Opção deste domingo, que os cinco vereadores de partidos da base do governador eleito Ronaldo Caiado (DEM) que tentam articular candidatura para a Presidência da Câmara de Goiânia querem que o demista interfira na disputa”, informou o blog ontem.

Nas palavras de Milton Mercez, “Caiado é político, ele tem que entrar na campanha”. O vereador disse ainda que acredita que “deva haver uma composição para que tenha uma paz administrativa municipal e também estadual”, porque “a Câmara também faz parte do Estado”. Em seguida, o Opção contrapõe a declaração mais recente de Milton com outra, anterior, em que o vereador afirma que o Legislativo da capital “não pode ser comandado por nome de governos”.

Resta saber se o “recado” dos caiadistas é para valer mesmo ou só é jogo de cena. A eleição para a mesa diretora da Câmara de Goiânia está marcada para o dia 4.