Romário Policarpo diz que sua candidatura teve respaldo do partido: “Não foi projeto pessoal”

O presidente eleito da Câmara de Goiânia, Romário Policarpo (PROS), disse na quarta-feira, 5, que sua candidatura para a Mesa Diretora foi tema de reuniões com os presidentes metropolitano e nacional do seu partido e classificou de “estranhas” as críticas do deputado estadual e vice-governador eleito Lincoln Tejota de que sua chapa foi “um projeto pessoal”.

Policarpo disse que procurou Lincoln após o consenso do Grupo dos 24 em torno de seu nome, quando o vice-governador informou-lhe que ficaria neutro na sucessão por determinação do governador eleito Ronaldo Caiado (DEM). Diplomático, conciliador e humilde, Policarpo disse, em entrevista portal do Jornal Opção na internet, que, mesmo assim, vai procurar Lincoln para esclarecer os eventuais desencontros.

“Eu o procurei, sim. O procurei numa sexta-feira, se não me engano, acompanhado do deputado estadual Vinícius Cirqueira. Ele disse que ficaria neutro, segundo ele por orientação do governador eleito Ronaldo Caiado”. “Esse trabalho foi feito dentro do partido. Às vezes, a falta de contato dele com o presidente nacional acarretou essa divergência”, disse.