Calote de dezembro: Em Catalão, Caiado é alvo de protestos de servidores, que abordam governador para perguntar: “É crime pagar os nossos salários?”

O clima de indignação aumentou quando Caiado alegou que não tem como pagar os salários porque a folha não foi empenhada pela gestão anterior. Um dos servidores abordou diretamente o governador para afirmar que ele pode empenhar os recursos para quitar os vencimentos a qualquer momento.

“Dia 22 o senhor vai receber o salário”, respondeu Caiado, sem citar o mês de referência – janeiro. “Eu quero saber qual mês o senhor vai pagar”, perguntou o manifestante. “Vai receber dia 22, que é o que eu posso pagar”, disse o governador. “Qual mês, qual mês, qual mês o senhor vai pagar. Tem muita diferença! O senhor está propondo janeiro, deixando dezembro, isso é um desrespeito isso com a gente, o senhor pode pagar janeiro e fevereiro depois”, disse o servidor, em tom de indignação.

“O ex-governador não empenhou os salários e eu não vou incorrer nos crimes que o ex-governador incorreu”, respondeu Caiado, ao que o servidor rebateu: “Então agora é crime pagar o funcionalismo, porque é isso que o senhor está dizendo. O senhor está usando os números para não fazer o pagamento, isso é um desrespeito”, afirmou ele. Caiado, então, se esquiva do grupo para entrar no prédio do evento, sob os protestos dos manifestantes: “Salário! Salário! Salário!”. “Queremos receber, chega de conversinha, queremos nosso salário!”, afirmaram.