Deputado caiadista diz, na Assembleia, que ditadura militar matou só 427 pessoas

O deputado estadual Paulo Trabalho (PSL) usou a tribuna da Assembleia Legislativa há pouco para defender a ditadura militar e dizer que o regime matou “apenas” 427 pessoas, e que a maioria fez por merecer a morte. A pergunta que o blog faz é: será possível que a ditadura brasileira tenha assassinado 427 pessoas enquanto a chilena eliminou 40.280 opositores e a argentina, 30 mil?