Médicos do movimento “Unidos pelo SUS” fazem alerta sobre crise na saúde de Goiânia: “Se o prefeito não tomar uma atitude, muita gente vai morrer”

Goiânia

Médicos vinculado à Secretaria Municipal de Saúde, Carlos Bahia e Fernando Bernardes ocuparam a tribuna livre da Câmara para fala sobre a crise na saúde de Goiânia, após o prefeito Iris Rezende demitir 480 médicos. “As condições de trabalho são precárias para todos os atendentes da saúde municipal. Se uma providência não for tomada muita gente vai morrer. Não estou fazendo uma ameaça, é uma previsão, um alerta”, disse Bernardes.

Francisco Júnior cobra solução imediata da prefeitura de Iris Rezende para crise dos médicos em Goiânia: “Os Cais estão um caos”

Goiânia

“A minha maior preocupação é a seguinte: enquanto os profissionais da saúde reivindicam seus direitos e a prefeitura age sem organização, o povo fica sem atendimento”, enfatizou o deputado estadual, que concorreu com Iris Rezende na eleição do ano passado.

Na tribuna da Câmara, representante dos médicos critica prefeitura de Iris e desabafa: “Não aguentamos mais ver pessoas morrendo em Goiânia. Precisamos de gestores com mais competência e humildade”

Câmara de Vereadores, Goiânia

Médicos demitidos pela prefeitura de Goiânia estiveram hoje nas galerias da Câmara Municipal. Na sessão da tribuna livre, Fernando Bernardes falou em nome da categoria e criticou a gestão de Iris Rezende. Na sexta-feira, um decretão assinado pelo prefeito demitiu 480 médicos, deixando o sistema de saúde municipal em colapso.

Presidente do TCE diz que Marconi foi republicano ao determinar que obras inacabadas sejam concluídas com base em critérios técnicos

Goiânia, Goiás

Nota na coluna Fio Direto, do Diário da Manhã, afirma que o presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Kennedy Trindade, classificou o decreto do governo de Goiás determinando a conclusão de obras inacabadas com base em critérios técnicos como “muito positivo e republicano”.

Daniel Vilela esteve em Goiânia nesta segunda-feira para evento na OAB, mas fugiu de debate público proposto pelo secretário Tayrone

Goiânia, OAB Goiás

O deputado federal Daniel Vilela (PMDB) esteve em Goiânia para participar de debate sobre a Reforma Trabalhista. Ele é presidente da Comissão que vai discutir a reforma na Câmara. Daniel, porém, fugiu de outro debate: o proposto pelo secretário de Governo, Tayrone Di Martino, que desafiou o deputado para enfrentamento público sobre o novo programa de investimentos do governo de Goiás.

No mundo da Lua: Iris desrespeita cidadão, ignora colapso e não dá um pio sobre a maior crise da história na saúde de Goiânia

Goiânia

Pacientes estão desesperados e alguns chegaram a esperar seis horas pelo atendimento. A secretária de Saúde, Fátima Mrué, está convicta de que a prefeitura de Goiânia não cometeu nenhum erro. A culpa seria toda dos médicos. ris não fala nada. Sumiu. Parece estar no mundo da Lua.

Crise envolvendo médicos demitidos e prefeitura só aumenta. Jornal Opção afirma que médicos revelaram que estão sendo ameaçados

Goiânia

“As ameaças são para quem faltar os plantões. Falam que não será permitido renovar os contratos e que vão nos acionar juridicamente. É uma forma de terrorismo para que a gente aceite os termos da prefeitura”, relata um médico ouvido pela reportagem do Opção e que preferiu não se identificar.

Enganação: na campanha, Iris Rezende jurou que valorizaria os profissionais da saúde. Agora, soltou um decretão que demitiu 480 médicos

Goiânia

Depois de assumir a prefeitura, Iris Rezende não só não valorizou os médicos, como nem contratou e ainda demitiu 480 profissionais, deixando o sistema de saúde num colapso sem precedentes. Iris enganou os eleitores.

Na TV Anhanguera, secretária de Saúde de Goiânia tenta passar serenidade diante do caos na saúde municipal e ainda coloca a culpa nos médicos demitidos por Iris

Goiânia, Imprensa

A secretária de Saúde de Goiânia, Fátima Mrué, deu entrevista ao vivo na TV Anhanguera, nesta segunda-feira. Com uma postura fria, que beira a arrogância, Fátima tentou a todo momento tirar a responsabilidade secretaria diante do caos na saúde e disse não entender porque os médicos faltaram aos plantões do fim de semana passado.

Caiado, que se diz defensor da categoria, ainda não falou nada sobre o decretão de Iris Rezende que demitiu 480 médicos em Goiânia

Goiânia

O decretão do prefeito Iris Rezende (PMDB) demitiu 480 médicos na rede municipal de saúde da Capital. O sistema está em colapso. Os profissionais reclamam que as condições de trabalho são péssimas nos Cais e em algumas unidades falta até mesmo insumos básicos, como esparadrapo e seringa.

Funcionários de creches conveniadas com a prefeitura, que estão sem receber há 5 meses, fazem protesto no Paço: “Iris, cadê você? Eu vim aqui para receber!”

Goiânia

Essas unidades, como já mostrou diversas reportagens de TV, também sofrem com a falta de alimentos. Em algumas, só há óleo de cozinha nem arroz tem. O grito dos manifestantes é: “Iris, cadê você? Eu vim aqui para receber”.

Afonso Lopes, no Jornal Opção: imagem negativa de Iris Rezende à frente da prefeitura de Goiânia começa a se cristalizar

Goiânia

O texto do comentarista político mostra que Iris e sua equipe ainda não conseguiram mostrar qual o verdadeiro tamanho do rombo financeiro que herdaram de Paulo Garcia (PT). Afonso destaca outros agravantes: a demissão em massa de estagiários, a contratação de 40 derrotados nas urnas e novos problemas na Comurg.

Dona Iris e assessor da prefeitura atacam médicos que foram demitidos e tentam politizar movimento dos profissionais

Goiânia

Errado agora são os profissionais e não a prefeitura, que colocou a saúde municipal em colapso. Cloves Reges Maia e Dona Iris ainda foram mais longe: tentaram politizar o movimento organizado pelos médicos para reivindicar melhores condições de trabalho.

Entenda porque Fátima Mrué rescindiu contrato de 480 médicos de Goiânia e caminha para ser a maior inimiga que a categoria já teve

Goiânia

Fátima Mrué chegou à Secretaria Municipal de Saúde com carta branca do prefeito Iris Rezende (PMDB) para colocar médicos contratados pela administração na rédea curta. Três meses depois da posse, veio a declaração de guerra à categoria, que pode transformá-la na maior inimiga que estes profissionais já tiveram na Capital.

Uma única médica atende no Cais Cândida de Moraes neste domingo: Fátima Mrué, secretária de Saúde de Goiânia

Goiânia

Notícia quentinha sobre o colapso na saúde pública da Capital: no Cais Cândida de Moraes, segundo consta, uma única médica está atendendo. E pasmem: segundo o vereador Jorge Kajuru (PRP), que fez plantão na unidade nesta manhã, trata-se de Fátima Mrué – ninguém mais, ninguém menos do que a secretária da Saúde de Iris, responsável por demitir a turma toda.

Médicos dizem que estão “cansados de serem responsabilizados pelas mazelas e ingerências na saúde municipal de Goiânia”

Goiânia

Nota traz série de reivindicações que o movimento chamado “Médicos Unidos pela Saúde” espera que sejam cumpridas pelo prefeito Iris Rezende (PMDB), destinatário do manifesto, e cobra dele o cumprimento de promessas de campanha, “colocando fim ao martírio da população carente e desassistida”.

Assista: após demitir 480 médicos, prefeitura de Goiânia se diz “surpreendida” com atendimento precário em Cais e UPAs da Capital

Goiânia

Neste sábado, a Secretaria Municipal de Saúde disse, por nota, que está “surpreendida” com a notícia de que o atendimento nas UPAs e Cais da Capital estão à beira do colapso, dois dias depois de baixar um edital que cancelou o contrato de 480 médicos que trabalhavam em regime temporário, como você pode conferir na reportagem clicando aqui.

“Vale-alimentação pago pela prefeitura não dá para pagar o almoço”, dizem médicos credenciados em Goiânia

Goiânia

Vale a pena ler o manifesto divulgado na última sexta-feira pelos médicos credenciados da prefeitura de Goiânia. que traz uma série de reivindicações ao prefeito Iris Rezende. O quinto item do documento traz uma denúncia que é, no mínimo, curiosa: a de que o dinheiro do vale-alimentação não é suficiente pra pagar o almoço. Confira.