Em vez de fazer o dever de casa, Caiado prefere pedir esmolas a Bolsonaro

Passados oito meses depois da eleição em primeiro turno, Caiado continua perdido igual a barata tonta à frente da gestão estadual. Em vez de fazer o dever de casa, com cortes e ajustes parta equilibrar as contas, o caiadismo se deixou levar pelo oba-oba e incompetência administrativa. O governador preferiu pedir esmolas a Bolsonaro. Resultado: o governo corre o risco de não conseguir pagar a folha salarial dos servidores em junho, quem sabe até maio.