Lêda encara secretário caiadista, critica governo e é aplaudida em audiência na Alego

Durante audiência pública sobre o Terceiro Setor realizada na tarde de quarta-feira (22), no auditório Costa Lima, na Assembleia Legislativa, a deputada estadual Lêda Borges (PSDB) defendeu maior facilidade no estabelecimento e manutenção de convênios com entidades filantrópicas.

Lêda foi muito aplaudida pelos presentes, mostrando prestígio e reconhecimento pelo trabalho executado na secretaria.

No debate, a parlamentar relembrou o tempo em que esteve como titular da antiga Secretaria Cidadã. “À frente da Pasta por três anos, pude executar políticas públicas e conhecer de perto a realidade das 608 entidades conveniadas com o Programa Pão e Leite e Água e Energia. Essas instituições enfrentam muitas dificuldades devido ao grande número de exigências feitas para obter apoio do Poder Público. Muitas delas estão com medo de se organizarem para reclamar e perder o apoio”, disse.

Segundo ela, o Poder Público não pode dificultar a vida das pessoas e instituições filantrópicas. “É preciso que o governador aumente os convênios e passe de 608 para 1.000 entidades e não dificulte o processo para retirar pessoas e entidades como tem feito”, criticou.

Lêda Borges ainda destacou a importância do trabalho feito pelas entidades do Terceiro Setor para a execução de políticas públicas do Estado. “Nós, agentes públicos, temos o dever de contribuir com boas ações para o sucesso dos programas do poder Executivo. Devemos ser parceiros e colaborar nas políticas públicas e não destruí-las”.

Além da tucana, fizeram parte da mesa de discussão o propositor da audiência, Thiago Albernaz (SD); o secretário estadual de Desenvolvimento Social, Marcos Cabral; presidente do Fórum Estadual do Terceiro Setor, Arízio Ribeiro; presidente da Federação Nacional da Associações Pestalozzi, Ester Alves Pacheco; e o diretor da Comissão de Direito do Terceiro Setor da OAB Goiás, Juscimar Pinto Ribeiro.