Secretária de Caiado diz que cortes nos incentivos não vão gerar arrecadação prevista de 1 bi, em 2019

Com a casa cheia, na presença de mais de 100 empresários na Fieg, ontem,  a secretária de Economia de Caiado, Cristiane Schmidt, deu a  má notícia: a arrecadação prevista para 2019 com os cortes dos incentivos fiscais pela equipe de transição do governo foi frustrada. Durante a reunião, ela apresentou números efetivos do que foi arrecadado até agora e a projeção de receitas até o final de 2019. Até a última segunda-feira (27), o Estado arrecadou um total de R$ 56,1 milhões, considerando receitas de ICMS e Protege. A expectativa de técnicos da Secretaria é que, até o final do ano, a arrecadação chegue à R$ 450 milhões, menos da metade do que foi projetado pela equipe de transição, no final do ano passado. Inicialmente, a expectativa era um incremento das receitas na casa de R$ 1 bilhão.

“Vamos ser realistas com os números que obtivemos até agora. Não tivemos arrecadação em janeiro, fevereiro e março devido a noventena e os números apurados, em abril e maio, indicam que a redução dos benefícios vai gerar uma receita de aproximadamente R$ 450 milhões até dezembro. Quase a metade do que foi previsto. A expectativa foi equivocada”, observou Cristiane Schmidt.