Em nota, Diário da Manhã corrige: “Batista não tem saudades de nenhum governo”, diz o jornal

O Diário da Manhã corrigiu em nota na coluna Café da Manhã informação
veiculada pelo G24H sobre o jornalista Batista Custódio. Veja, na
íntegra, o que diz o jornal:

Site erra em dizer o que o
Batista Custódio não disse

“Uma nota publicada em um blog político, afirmando que o jornalista
Batista Custódio estaria com ‘saudades’
do governo de Marconi Perillo não é verdadeira.
Passa longe, bem longe de ser verdade. Batista não tem saudades de
nenhum governo. E tem até motivos para ser assim. A nota se baseia em
uma suposta
conversa que Batista teria tido com o barbeiro Ruimar Ferreira,
quando este teria ido a sua casa, como faz mensamente, cortar
o seu cabelo. A nota já erra ao dizer que Batista teria dito a
afirmação no salão, o New Star, que fica na Praça Tamandaré
Ruimar sempre cortou o cabelo do jornalista em sua residência
Batista Custódio, como Ruimar Ferreira, votou em Ronaldo
Calado para o governo de Goiás. Batista é um dos poucos
jornalistas no País a declarar, em todas as eleições,
publicamente, o seu voto. Sempre o fez, em nome da
democracia e da transparência que tem tido com seus leitores.
Batista, ao longo dos anos, tem aconselhado vários políticos de
Goiás, entre eles, Ronaldo Caiado, Iris e o próprio Marconi. Em
algumas das ponderações suas, diz que todos se prejudicam em
manter pessoas erradas aos seus lados, que, por muitas vezes,
na vida, acabam plantando intrigas e prejudicando as suas ações
de estadistas. Batista é um jornalista sério e não precisa mandar
recado por meio de ninguém. Nunca mandou. Todas às vezes
que quer dizer alguma coisa, usa o velho e bom hábito do vis-à
vis, ou seja, do ‘olho a olho. O próprio e bom Ruimar Ferreira,
também, estranhou a nota, já que afirmou em alto e bom tom
não ter conversado com ninguém a respeito do assunto, pelo
fato do mesmo não ser verdade. Ruimar até brinca que seu
desejo é cortar o cabelo do governador Ronaldo Caiado, já que
cortou dos grandes políticos de Goiás, entre eles, o próprio Iris.
A verdade é que muitos buscam usar da maldade para atacar a
honra das pessoas. Batista tem-se mantido recluso em sua
biblioteca, onde, durante todo o dia, se atém às suas escritas
(ele prepara um novo artigo, após publicar o “Luz Quebrada”,
com mais de 85 páginas, de fato, quase que um livro). Outra
verdade é que é preciso respeitar o silêncio que o próprio
jornalista se impôs como forma de ler a realidade sem as lupas
deturpadas de que muitos fazem. Batista e Caiado são amigos e
se respeitam. Sempre se respeitaram. E não serão intrigas que
vão acabar com essa amizade de quase uma vida”.