“Só aprovamos as matérias do Executivo depois de exaurir e conhecer bem todas as propostas”, diz Romário Policarpo

Em entrevista ao jornal O Popular deste domingo, o presidente da Câmara de Goiânia, Romário Policarpo (PROS), afirma que, entre várias razões, a Câmara de Goiânia se tornou mais independente porque está avaliando com profundidade todas as matérias enviadas pelo prefeito Iris Rezende (MDB) para votação na Casa.

“Paço e Câmara têm entendimentos diferentes sobre leis que são aprovadas. A relação do Paço Municipal é harmoniosa, mas cada um dentro da sua esfera. Quando falo sobre independência da Casa, me refiro a projetos do Paço que hoje não são pautados antes que os 35 vereadores estejam em consenso para fazer a votação”, afirma.

“A nova Mesa Diretora decidiu que a matéria será votada apenas quando todos tiverem clareza sobre o que estão votando. Em relação aos vetos e judicializações, isso não é de agora”, disse. “Não colocamos projetos na pauta sem que os vereadores saibam de fato o que estão votando. Prova disso é o Código Tributário, que estamos exaurindo há um bom tempo. Tem também o pedido de empréstimo de R$ 780 milhões da Prefeitura que, em outros tempos, já teria sido colocado em votação goela abaixo dos vereadores”, relata.