Policarpo muda cara da Câmara de Goiânia, consolida autonomia e insere Legislativo no centro das decisões

O novo presidente da Câmara de Goiânia, Romário Policarpo (PROS), completa cinco meses à frente da mesa diretora com avanços expressivos no processo de autonomia e independência do Legislativo, sem obstruir a atuação da Prefeitura.

Na esfera administrativa, Policarpo mudou a lógica da aplicação dos recursos. A prioridade é melhorar a estrutura de trabalho da Câmara, voltada para a fiscalização e acompanhamento dos atos do Executivo. Até então, a prioridade das mesas diretoras era devolver recursos da Câmara para a Prefeitura – aliás, uma das razões do fiasco e da derrota de Andrey Azeredo (MDB).

Também no campo administrativo, Policarpo trabalha para ampliar a transparência da Casa, atendendo a uma demanda crescente da população. A reforma criou novas estruturas de interlocução com a população e medidas para ampliar o número de informações no portal da Casa estão em andamento.

No campo político, Policarpo aproximou, com independência, a Câmara da Prefeitura. As reuniões deliberativas com o prefeito são frequentes e a Casa é consultada previamente em temas de maior relevância, como o Plano Diretor, a data-base, educação e saúde. Apesar dos avanços, Policarpo afirma que ainda há muito a fazer neste campo.

O presidente da Câmara vem se mostrando um genuíno representante da chamada nova política: toma as decisões de forma coletiva, abriu as portas da Câmara para a população e colocou os vereadores de volta ao centro das decisões de interesse da capital.