Ganha Tempo, que Abud quer usar para deixar a tarifa em R$ 3 reais, só beneficia 800 passageiros

Não é o blog 24 Horas que afirma, mas nada mais nada menos que o vice-presidente do Setransp, o sindicato das empresas de transporte coletivo da Grande Goiânia, Décio Caetano.

Em declarações a O Popular, em matéria do repórter Vandré Abreu, Décio Caetano disse que, segundo pesquisas do Setransp, apenas 0,1% da população que utiliza ônibus faz três viagens no intervalo de duas horas e meia.

Três viagens no intervalo de duas horas e meia é exatamente o suposto benefício que o prefeito Paulo Garcia, com pompa e circunstância, em uma entrevista coletiva no salão nobre do Paço Municipal, anunciou como a grande vantagem do programa Ganha Tempo – apresentado como iniciativa da Prefeitura, mas na verdade uma bolação das empresas para tentar manter a tarifa em R$ 3 reais.

Mas vamos lá. Se 800 mil pessoas usam o transporte coletivo da Grande Goiânia, todos os dias, 0,1% que, segundo o Setransp, fazem três viagens no espaço de duas horas e meia, correspondem a… 800 passageiros.

800 passageiros.

Não é um programa para beneficiar os usuários do transporte coletivo. É um golpe.

E o objetivo já foi declarado pelo próprio Ubirajara Abud: o Ganha Tempo significaria, para as empresas, um custo correspondente à desoneração fiscal e aí, malandramente, a tarifa tem de ficar em R$ 3 reais mesmo.

É caso de polícia.