Aos 37 anos, Nenê exige contrato caríssimo e de dois anos ao Goiás. O pior: Hailé vai topar

Está em curso na Serrinha uma operação financeira que é um acinte com o torcedor esmeraldino: a diretoria do Goiás, comandada por Hailé Pinheiro (o Iris Rezende do futebol), está inclinada a aceitar todas as exigências do meia Nenê, do São Paulo, para vestir o uniforme verde. Aos 37 anos, idade com que Pelé se aposentou, Nenê exige um contrato de dois anos e salários altíssimos, muito acima dos provimentos do resto do elenco.

Em que pese o começo razoável no campeonato Brasileiro, o Goiás é sério candidato ao descenso. O mais grave é que, ao vender a alma para o diabo para ter o meia são-paulino, o esmeraldino pode sequer ter condições de sair-se bem em uma eventual série B em 2020 para, em 2021, voltar à elite do futebol. Uma irresponsabilidade sem tamanho da família Pinheiro.