O Popular publica matéria sobre “manifestação” de servidores, mas não diz que só foram 200 pessoas

Em matéria sobre a “manifestação” desta terça-feira, no Centro de Goiânia, quando, segundo O Popular, “servidores estaduais ativos e inativos” protestaram contra o parcelamento da data base, o maior jornal do Estado não informa seus leitores sobre o número de pessoas presentes no evento.

O próprio O Popular, no seu portal de notícia, disse em tempo real que “cerca de 200 pessoas” participavam do movimento.

Os servidores públicos estaduais, ativos e inativos, compõem uma das maiores categorias profissionais, em torno de 160 mil funcionários.

Se 200 compareceram ao “protesto”, isso significa que uma fração mínima ou abaixo de mínima se apresentou como representante da classe.

A “manifestação”, na verdade, foi promovida por nove sindicatos ligados ao PT e foi comandada pelo deputado estadual Mauro Rubem, que mobilizou principalmente o SindSaúde, espécie de propriedade particular sua, para tentar dar representatividade ao movimento.

O mesmo Mauro Rubem não compareceu até hoje a nenhum dos cinco protestos de rua organizados pelos estudantes de Goiânia contra o aumento extorsivo da tarifa de ônibus, assunto que compete à esfera municipal, portanto, à Prefeitura de Goiânia, comandada por Paulo Garcia (PT).