Apesar da artilharia intensa de Caiado aos incentivos fiscais, Mabel diz que confia na palavra do governador

Presidente da Fieg, Sandro Mabel, se comporta como mulher de soldado no debate sobre a manutenção dos incentivos fiscais. Apesar da artilharia intensa de Caiado aos benefícios e empresários, o líder classista diz que confia na palavra do governador. É o que publica o jornalista Rubens Salomão numa série de notas na coluna Xadrez, da edição de hoje do jornal O Hoje, Veja:
  Setor confia na ‘palavra’ de Caiado sobre incentivos
O presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (FIEG), Sandro Mabel, confirma a previsão de rediscussão com o governado estadual, em setembro, sobre a redução nos créditos outorgados definida no fim de 2018, que resultou em incremento na receita neste ano. Segundo o ex-deputado federal, no entanto, a expectativa é de que a conversa sirva apenas para confirmar acordo feito com o governador Ronaldo Caiado (DEM). “Sobre essa conversa para setembro, o governador é um cara de palavra. Ele combinou isso aí”, afirma Mabel em referência ao retorno dos parâmetros anteriores a 2018 na concessão de incentivos fiscais e créditos outorgados. “O prazo de duração dessa redução foi combinada e a diminuição está fazendo muitas empresas passarem apertadas. Sacrificando muita gente. Então, é um sacrifício que demos por tempo determinado”, define o presidente.
Combinado
Questionado sobre o constante discurso do governo de que ainda há “gorduras” para serem cortadas nos incentivos, Mabel resume: “tenho certeza que o governador vai cumprir com o que combinou”.
Exigência
Caso o governo Caiado confirme a intenção de aderir ao Regime de Recuperação Fiscal, deverá colocar no radar de negociações a contrapartida de cortar mais 10% dos incentivos, como previsto na Lei 159/2017.
 À Justiça
Os empresários, no entanto, insistem em apontar que a possível adesão ao RRF não teria poder de retirar benefícios que foram convalidados nacionalmente. Batalha jurídica em vista.