Dentro do Grupo Jaime Câmara, jornalistas “comemoram” ataques aos veículos e equipes da empresa

Jornalistas de O Popular e apresentadores da TV Anhanguera curiosamente minimizam o ataque de vandalismo aos veículos do Grupo Jaime Câmara – mas, a explicação pode ser outra que não uma possível orientação do comando editorial do GJC.

Estranho? Não. Isso tem uma razão de ser: é que boa parte dos profissionais que trabalha no GJC não se considera comprometido com a empresa, acusada de pagar muito mal e não valorizar os seus profissionais.

Recentemente, os jornalistas do GJC foram trabalhar com pelo menos uma peça de roupa na cor negra, em sinal de protesto contra os baixos salários. O jornalista Fábio Castro apresentou o Bom Dia Goiás com uma vistosa gravata… preta.

Embora observando silêncio para garantir o emprego, alguns jornalistas do GJC até acharam merecido o ataque dos vândalos, que abalou a ala reservada às salas da diretoria.

O alto comando da empresa é muito fechado e se comporta como se fosse um comitê soviético, sisudo e carregado de pompas.