Prisão preventiva de João de Deus saiu em cima de informação falsa: juíza de Abadiânia foi induzida ao erro para prender médium

A prisão preventiva de João de Deus foi concedida em cima de
informação falsa, descobriu-se hoje com a quebra do sigilo do
processo, nesta segunda-feira (12/8)
A juíza de Abadiânia foi induzida ao erro para prender médium. Um dos
relatórios do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf)
usado para fundamentar uma das preventivas do médium João de Deus
continha informações falsas. O formulário de solicitação de resgate
foi pedido pela esposa dele, que gerenciava uma de suas contas no Itaú
e tinha procuração pública para tal. Nem João de Deus nem sua esposa
assinaram o documento.