Lêda Borges critica Caiado por declarações e se diz preocupada com futuro do Hugo

Em discurso no Pequeno Expediente, a deputada Lêda Borges (PSDB) disse que a Organização Social selecionada para administrar o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) responde a 149 processos judiciais, e que isso não deveria acontecer. “Cerca de 400 técnicos de enfermagem e 150 médicos estão com seus empregos em risco no Hospital de Urgências de Goiânia, e isso é uma afronta ao Estado, ao cidadão. Esse governo não tem mais política social e nem garantia salarial”, denunciou.

O Hugo, segundo a deputada, passa por processo de mudança de gestão na unidade, do Instituto Haver para o Instituto Nacional de Amparo à Pesquisa e Tecnologia Inovação na Gestão Pública (INTS), com a transição acabando no fim deste mês. “Esse desmonte da Saúde, uma das coisas que estava indo bem em Goiás, vai piorar a vida do cidadão. O governador Ronaldo Caiado só se preocupa em desmoralizar e destruir a liderança de Marconi Perillo”, completou.

Lêda também avaliou entrevistas recentes do governador. “Caiado não está muito bem da cabeça. O que ele falou em Catalão, hoje, da família do Marconi, não tem explicação para um homem que há 25 é louco para ser governador. Eu pensei que ele queria ser governador para construir e não para agredir, o povo elegeu Marconi por quatro mandatos, não é por causa de alguns meses que vamos esquecer o legado deixado por Marconi”, concluiu.