Caiado trocou chefe de comissão licitatória na véspera da escolha de OS suspeita para o Hugo

Colocada sob suspeita por reportagem publicada no site Mais Goiás nesta quinta-feira, a Organização Social INTS ganhou chamamento público para administrar o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) depois de uma súbita e não explicada troca na presidência da comissão interna de chamamento público da Secretaria de Saúde. Caiado tirou Thiago Angelino Martins, que respondia pela comissão desde a sua criação, e colocou no lugar uma tal Rafaela Troncha Camargo, que é servidora do Hugo.

Rafaela Camargo é funcionária da Secretaria de Estado da Administração (Segplan) e estava lotada no Hugo. Em fevereiro de 2019, o secretário de Saúde, Ismael Alexandrino Júnior, solicitou à administração do Hospital uma relação de servidores lotados na unidade vindos de outras secretarias. Depois disso alguns funcionários foram devolvidos aos seus órgãos de origem. Entre eles a atual presidente da Comissão Interna, Rafaela Camargo.

O Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público de Goiás (Sindipúblico), alegando que “a situação ocorreu em desconformidade com as previsões contidas no Contrato de Gestão”, protocolou um mandado de segurança na Justiça. A ação tinha o objetivo de garantir a permanência dos servidores nos locais onde estavam lotados.

A Justiça, por sua vez, concedeu a liminar ao sindicato no dia 9 de abril, o que permitiu que os servidores pudessem retornar ao Hugo. Rafaela Camargo, entretanto, não retomou o trabalho no hospital; 35 dias depois da ação, ela passou a responder como presidente da Comissão Interna de Chamamento Público.

Rafaela assina os documentos da Comissão desde o dia 14 de maio deste ano. A reabilitação da OS ocorreu no último 18 de junho.