AD

Com Paulo do Vale, Rio Verde despenca em ranking sobre finanças, gestão e desempenho

Dados apurados pelo Índice de Governança Municipal do Conselho Federal de Administração (IGM-CFA) apontam que Rio Verde despencou para 145º posição de um grupo de 155 cidades. O resultado diz respeito ao ano de 2018 e registra a avaliação da governança pública nos municípios brasileiros a partir de três dimensões: Finanças, Gestão e Desempenho.

No grupo em que está Rio Verde (Grupo 8) estão 155 cidades com mais de 100 mil habitantes e com Produto Interno Bruto (PIB) per capita acima de R$ 28.900.  O município goiano registrou nota 5,60, sendo 8,70 a melhor do conglomerado – vale citar que as notas de Rio Verde caíram muito em relação a 2016 (7,63) e 2017 (7,66)

Dados – Alguns indicadores do ranking apontam que Rio Verde possui 30 vezes mais o número de funcionários recomendados pelo ranking, além de um valor elevado de vulnerabilidade social, cujo valor máximo seria de 12% da população e na cidade chegaria a 18%. Na saúde, o índice recomenda o investimento de R$ 1.120,14 per capita, mas o município colocaria R$ 805,75.

Em relação a transparência, o IGM afirma que o índice está abaixo da meta e isso pode gerar dificuldades ao contribuinte na hora de acessar as contas do município.

A prefeitura de Rio Verde foi procurada para se manifestar sobre o ranking IGM-CFA, mas até o momento não se manifestou. Quando o fizer, essa matéria poderá ser atualizada.

Metodologia – Lançado em novembro de 2016, IGM-CFA, na edição deste ano (referência 2018) agrupou os municípios semelhantes e definiu metas a serem atingidas por eles. Esta última faz parte de um aprimoramento da metodologia, a fim de permitir uma comparação mais efetiva.

Com a já citada métrica em três dimensões (Finanças, Gestão e Desempenho), os resultados são elaborados por meio de dados secundários. Estes consideram: áreas como saúde, educação, gestão fiscal, habitação, recursos humanos, transparência, violência dentre outras.