Soldados e cabos lotados na Casa Militar estão sofrendo pressão por denúncia de assédio sexual no palácio

Soldados e cabos lotados na Casa Militar estão sendo colocados contra a parede em razão da denúncia de assédio sexual na Chefia de Gabinete do governador Ronaldo Caiado.

Os militares estariam sendo obrigados a subscreverem um abaixo-assinado negando qualquer assédio.

O argumento usado pelos oficiais superiores é que a denúncia estaria prejudicando um candidato a prefeito de Jaraguá e seria também uma traição ao governador Caiado.

“Não estamos querendo prejudicar nem trair ninguém”, afirma um cabo que é vítima de assédio, assinalando “que o dever da Casa Militar é defender os militares a ela vinculados e não fazer da nossa denúncia uma balela”.

Os soldados e cabos querem que o  chefe da Casa Militar, coronel Alencar, cumpra com a sua obrigação e apure os fatos denunciados por meio de uma sindicância, a partir dos  arquivos de vídeo gravados nas câmeras de segurança do Palácio Pedro Ludovico Teixeira.