Assim como Otavinho Lage, Sandro Mabel apanha feio e sai desmoralizado do debate sobre os incentivos fiscais

Lideranças classistas dos empresários de Goiás estão mal na fita, desde que se estabeleceu o debate sobre os incentivos fiscais no estado, com a eleição e posterior posse de Caiado. Assim como Otavinho Lage (Adial) e André Rocha (Sifaeg), Sandro Mabel, presidente da Fieg, sai desmoralizado do embate com o governo e a Assembleia. Sandro é o pior deles. Chegou a implorar para falar à CPI dos Incentivos Fiscais, mas foi ignorado pelos deputados.
Se transformou num pândego.