“Você sai, se despede da sua família, mas não sabe se volta”

O vice-presidente da Associação dos Motoristas de Aplicativo de Goiás (Amago), Wendel Rocha diz ao Diário de Goiás que a insegurança que tem tomado conta do exercício da profissão para os motoristas de aplicativo. “Para nós é muito difícil, pois saímos para trabalhar e não sabemos se voltaremos para casa. Você sai, se despede da sua família, mas não sabe se volta”, conta.

Há cerca de duas semanas, houve outro caso de latrocínio, desta vez em Goiânia. Na ocasião, dois jovens balearam e mataram um motorista de apenas 25 anos. Eles também foram presos. Diante de tanta violência, a Amago planeja um grande ato na próxima segunda-feira (28).