Adial, Fieg e Sifaeg envenenaram Caiado contra empresários e feriram de morte os incentivos fiscais

As três entidades que deveriam comandar a luta pela manutenção dos incentivos fiscais conduziram o processo de forma equivocada. Em vez de distensionar a relação do setor com Caiado, elas investiram no confronto com o governo, tentando emparedar o governador e fazer com que ele engolisse as teses do empresariado. Erraram feio. O ambiente envenenado e intoxicado, por causa das declarações públicas e ações de bastidores de Otavinho Lage (Adial), André Rocha ( Sifaeg) e Sandro Mabel (Fieg), feriu de morte os benefícios.