Paulo Trabalho defende que Exército evitou golpe comunista e que golpe de 1964 foi por clamor popular

O deputado Paulo Trabalho (PSL) discursou durante a sessão especial em homenagem aos oficiais da Reserva do Exército Brasileiro e aos 40 anos da Turma do Núcleo de Preparação de Oficiais da Reserva do 42º Batalhão de Infantaria Motorizado. A proposta é do Bruno Peixoto (MDB), que não pode comparecer ao evento por motivos pessoais.

Em sua fala lembrou que o dia 4 de novembro foi colocado como Dia do Oficial R/2, uma organização pioneira do Exército Brasileiro e que, pela primeira vez, a Assembleia de Goiás, homenageia esses oficias, que ao deixarem o cargo ativo, tornam-se oficiais de consulta e honra.

O parlamentar aproveitou ainda para homenagear cada oficial presente, exaltando o seu trabalho para com a sociedade, na criação de uma nação mais íntegra, ética, justa e solidária. “Assim é o nosso valoroso Exército Brasileiro, o qual todos os cidadãos tem apreço e orgulho. Uma instituição que sempre nos defendeu, até no período mais sombrio da nossa história, as vésperas de um golpe comunista. Foi ouvindo o clamor popular que assumiu o comando da nação e nos impedindo de ser uma Cuba, uma Venezuela”, disse.

Paulo Trabalho disse ainda que foi na época do regime que foram construídas as maiores obras de engenharia que o país já viu e que isso é motivo de aplauso e saudação. “Sinto saudade do tempo que esse país tinha grandes obras. O poder emana sim do povo, mas porque o exército deixa e permite”, enfatizou.

“Hoje temos um representante do Exército comandando esse país novamente. Em 1964 o que houve foi um governo militar com clamor popular e a mídia maldosa chama esse período isso de golpe. Vocês mostraram que é possível gerir uma nação sem roubo, tínhamos liberdade naquela época, podíamos dormir tranquilo, havia segurança nas ruas e só era ruim pra quem era bandido”, celebrou o parlamentar.