Amauri Ribeiro afirma que defende sete milhões de goianos e não tem compromisso com servidor público

Neste momento, os parlamentares discutem, na Ordem do Dia, o projeto 7213/19, referente ao Estatuto do Servidor Público Civil Estadual, que está sendo votado em segunda e definitiva votação. O deputado Amauri Ribeiro (Patriota) ocupou a tribuna para se manifestar a favor da matéria. Segundo ele, os parlamentares da base governistas votam pela aprovação da matéria porque sabem da realidade financeira do estado.

Ribeiro criticou a postura da presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Goiás (Sintego), Bia de Lima, que estaria fazendo jogo duplo. Por um lado, participa de manifestações contra o projeto, mas, por outro fez um acordo para apoiar o governo em troca da sua indicação para o Conselho Estadual de Educação. Amauri solicitou ao presidente da Casa, Lissauer Vieira (PSB), que retire pedido de liminar para derrubar outra liminar do deputado Humberto Teófilo que revoga a indicação da sindicalista.

Amauri ressaltou que o projeto retirou benefícios como licença prêmio e quinquênio para garantir o pagamento dos salários dos servidores públicos. “Eu não tenho compromisso com servidor público. Fui eleito para defender o produtor rural, os militares, os empresários e sete milhões de goianos. Defendo o Estado que foi arrebentado pela corrupção.

Amauri afirmou que ontem pediu a retirada do ex-deputado Mauro Rubem de reunião da CCJ no auditório Solon Amaral, que participava de manifestação na plateia ajudando a tumultuar a reunião. “Ele não foi um bom deputado por isso não voltou para a Assembleia”, salientou.