Oposição a Lúcio Flávio da OAB-GO voltou a se reunir nesta sexta-feira (6) em Goiânia, diz site

O movimento de oposição à atual gestão da Ordem dos Advogados do Brasil em Goiás (OAB-GO) se reuniu nesta sexta-feira (6), em Goiânia. O objetivo, segundo o líder do grupo, Júlio Meireles, é dialogar sobre a advocacia e manter ativa a relação política em relação a atual gestão da OAB no estado, informou o site Diário de Goiás

De acordo com Júlio, o sentimento era de lamentação: “Na semana passada vimos cenas lamentáveis, utilização da máquina das OAB em prol de interesses pessoais e é contra isso a advocacia está se rebelando. Esse é o motivo de tanta gente estar buscando o mesmo ideal”.

Para ele, marcam também as recentes denúncias de deputados estaduais afirmando “que o presidente da Instituição estava utilizando do prestígio da instituição para obter êxito num projeto, ação, de um cliente particular e isso é altamente nocivo para a OAB”.

As denúncias, que Júlio se refere, são em relação ao fato do atual presidente da Ordem, Lúcio Flávio, ser um dos advogados da Enel. Nesta semana, o presidente conseguiu liminar o liberando de não comparecer à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Enel para depor.

Júlio afirma que não há impedimento legal de Lúcio Flávio ser um dos advogados da empresa. Para ele, porém, “conciliar essas duas coisas é muito difícil”.

“Ele tem que colocar a frente os interesses do estado de Goiás, os interesses da advocacia no estado de Goiás e não em primeiro lugar os interesses de seu cliente. Então, quando da aceitação da procuração ele deveria ter pensado muito bem sobre isso porque há sim um fator limitador, há um impedimento moral, não é legal. O que ele não pode fazer, denuncia dos deputados, é que ele estava utilizando a estrutura, o bom nome que a Ordem dos advogados tem em prol desse cliente dele”, criticou o líder da oposição.

Eleições

Questionado sobre a unificação do grupo da oposição para as próximas eleições da OAB GO, que devem ocorrer em 2021, diz que a tendência é de união e que não há notícias de que outro grupo esteja trabalhando em questão de eleição da OAB de forma isolada.

“Também não sabemos quem vai ser o candidato do movimento da oposição que vai se tornando cada vez mais forte diante de tanta irregularidade, patacoada que vem acontecendo na administração da OAB no estado de Goiás”, afirmou.