Goela abaixo: decisão de Bolsonaro de enviar repatriados a Anápolis foi tomada à revelia de Caiado

O governador Ronaldo Caiado fez plantão na terça-feira (4) no Palácio Planalto para discutir o envio dos brasileiros repatriados de Wuhan a Anápolis, mas não conseguiu espaço na agenda do presidente Jair Bolsonaro. Caiado ficou sabendo da decisão do governo pela imprensa. Ele havia sido comunicado da possibilidade de Anápolis abrigar os repatriados no domingo (2) à noite por meio de uma ligação telefônica do ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.

Mas, ficou por aí. A decisão do governo foi tomada à revelia do governador goiano, que não teve acesso aos planos de segurança e das providências médicas e de isolamento no caso de uma eventual contaminação do coronavírus.

A impressão que ficou de Caiado neste episódio foi de que ele foi fraco e subalterno a Bolsonaro, aceitando goela abaixo e sem qualquer resistência a imposição do governo federal.