Grupo Forte Atacadista/Supermercados Comper vai investir R$ 1 bilhão… Mas é em Brasília, porque em Goiás, Caiado está espantando as empresas

Com incentivo fiscal do Governo do Distrito Federal, Grupo Forte Atacadista/Comper anunciou investimentos de R$ 1 bilhão nos próximos cinco anos em Brasília.

Pelo menos mais dois supermercados e um centro de distribuição nacional. Essas são as metas anunciadas pelo dono do Grupo Forte Atacadista/Comper, Inácio Passos Pereira, que nesta quinta-feira (6) assinou acordo com o Governo do Distrito Federal para redução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Com a medida, ele vai investir em cinco anos cerca de R$ 1 bilhão, com expectativa de criar pelo menos 5 mil empregos diretos na capital federal.

“O investimento é imediato. Neste ano, devemos inaugurar no mínimo duas grandes lojas do Comper e iniciar as obras do centro de distribuição. É um compromisso que assumi com o governo”, disse o empresário após reunião com o governador Ibaneis Rocha, no Palácio do Buriti. A rede de venda de alimentos está estabelecida em São Paulo e Santa Catarina. Em Brasília, segundo o empresário, os negócios ainda eram muito tímidos por falta de incentivos.

“Investimos no ano passado, R$ 450 milhões em outros estados. Neste ano, serão R$ 680 milhões e grande parte será distribuído para cá”, comentou. Segundo ele, a operação do centro de distribuição do DF vai envolver cargas com destino para as cidades locais e ainda para o Tocantins, Maranhão e Sul da Bahia. “Vamos envolver mais uma frota de veículos terceirizada de pelo menos 200 caminhões. E serão mais empregos indiretos para movimentar a economia”, avaliou.

O ajuste da carga tributária do Distrito Federal promovido pelo governo está resultando em competitividade com os demais Estados. Segundo o secretário de Economia, André Clemente, nos próximos meses, outras duas empresas de atacadistas desembarcam em terras brasilienses. “É uma política desenvolvimentista implementada pelo governador Ibaneis, que visa mudar o eixo do DF de uma cidade apenas administrativa para um grande centro logístico do país”, explica.

Para ele, a região apenas tem aproveitado de uma vocação natural. “Temos localização privilegiada e somos a sede do governo federal, das embaixadas e de todas as grandes empresas do país. Isto nos torna bem atraentes”, completa.

Ele destaca que, além de ajudar na geração de emprego, a vinda das empresas ajuda a aumentar a arrecadação de imposto e alimenta os cofres públicos para investimentos em outras áreas. “O foco dessa política fiscal é também arrecadar mais e, assim, financiar melhor todas as políticas públicas voltadas para a melhoria de vida da nossa população”.