“Estava sufocado” diz Major Araújo sobre a base aliada de Caiado, que ele chamou de “sujeito mentiroso”

O deputado Major Araújo (PSL), voltou a criticar nesta quarta-feira (19) o governador Ronaldo Caiado (DEM) na Assembleia Legislativa.

Ele disse que apoiou Ronaldo Caiado na Alego sem pedir nomeação de nenhuma pessoa e afirma que estava na situação para ajudá-lo. “Me arrependo muito de ter apoiado o governador, esperando ele mudar, e ele não mudou. É um governador que governa para elite. Estou arrependido de ter ficado na situação por um ano”, relatou.

Em relação à declaração do líder do governo, deputado Bruno Peixoto (MDB), sobre a perda de três aliados na Casa, Major Araújo garante que não voltará à situação porque o Governador não aceita opiniões, embora precise de ajuda. 

“Eu estava sufocado ali, com vontade de falar. O governador não aceita opinião nem participação de ninguém. Ele está perdido. Precisa de ajuda, mas não aceita”.

E completou “Deputado Bruno, acho que o Caiado falou com sua boca, porque o senhor não tem o perfil de ameaça, hostilidade e truculência. Fique tranquilo, minha decisão é definitiva. Não vou voltar mesmo, não por ameaça. Não volto porque não quero, porque esse governo não condiz com minhas convicções”.

Segundo o Major, para o governador, quinquênio e licença prêmio é imoralidade. 

“Imoralidade é o que ele está fazendo com a Polícia Militar (PM). O governador estendeu as prerrogativas previdenciárias da PM, mas agora volta atrás. Tenho a minuta e o parecer da Procuradoria em mãos. Isso significa que Caiado vai revogar a medida de prorrogação. É um governador mentiroso que não merece nosso apoio”, finalizou Major Araújo.