Assistência Social de Aparecida de Goiânia entregará cestas básicas e kits de higiene

A primeira-dama e secretária de Assistência Social de Aparecida de Goiânia, Mayara Mendanha, informou nesta terça-feira (31) que o município distribuirá cestas básicas e kits de higiene, com sabonete líquido e álcool em gel, para famílias em situação de vulnerabilidade na cidade.

Conforme Mayara, as entregas de cestas básicas serão realizadas em duas partes: famílias que integram os centros de convivência da prefeitura e as que fazem parte do Cadastro Único, além da demanda espontânea. Nos dois últimos casos, o procedimento exige visita técnica.

“As do Cadastro Único e demanda espontânea receberão a equipe técnica da secretaria para fazer o parecer e verificar se a família realmente precisa”, disse a primeira-dama.Os kits de higiene serão entregues aos grupos de risco que integram a assistência social. A secretaria informou que ampliará a equipe que atenderá o Cadastra Único para evitar aglomerações de pessoas que precisam das doações.

Distribuição de marmitas

O Restaurante Popular, fechado desde a semana passada, volta a funcionar a partir desta terça-feira (31). O refeitório, que servia cerca de 1 mil refeições diárias ao valor de R$ 2 cada, ainda não estabeleceu o número de marmitas que serão produzidas e diz que o fará de acordo com a demanda. O valor das refeições está mantido.

A equipe da cozinha foi reduzida e os funcionários se revezarão como medida de prevenção à disseminação do novo coronavírus. Os alimentos serão produzidos fora do Restaurante Popular e apenas distribuídos no local. “Faremos um ponto de apoio, as pessoas vão pegar o tíquete. Vamos ter uma equipe para orientar a fila, com a distância correta. A pessoa compra o tíquete, pega a marmita e volta para sua casa”, explicou a secretária de Assistência Social.

Acesso à renda mínima

Segundo Mayara, os aparecidenses não precisam ter pressa para acessar a renda mínima de R$ 600, aprovada pelo Senado Federal nesta segunda-feira (30) e que deve ser sancionada ainda hoje pelo presidente Jair Bolsonaro. Conforme ela explica, o trabalhador não precisa estar no Cadastro Único para ter direito ao benefício. O ideal, para evitar aglomerações, é recorrer às informações pelo telefone 3545-5970