Pressionado, Bolsonaro adia escolha do novo ministro da Justiça

O ministro da Secretaria-Geral da presidência da República, Jorge Oliveira, era o nome mais cotado para assumir o ministério da Justiça, mas ele próprio relatou preocupação com a eventual ida à pasta por ser amigo pessoal da família Bolsonaro.

Falecido, o pai de Oliveira foi chefe de gabinete de Bolsonaro na Câmara durante 20 anos. Jorge trabalhou como assessor parlamentar de Bolsonaro quando ele era deputado federal e foi chefe de gabinete na Câmara de Eduardo Bolsonaro, no primeiro mandato de deputado federal.