Agressão a jornalistas é ‘inadmissível’, diz ministro da Casa Civil, Braga Netto. Em Goiás, seguranças de Caiado espancaram editor do G24Hs

O ministro da Casa Civil, Braga Netto, disse nesta segunda-feira, 4, que é “inadmissível” qualquer tipo de agressão a jornalistas. Ele foi questionado, em coletiva no Palácio do Planalto, sobre o ataque de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro a jornalistas durante ato pró-governo ocorrido neste domingo, 3, como chutes, socos e empurrões a equipe de profissionais do Estadão.

Em Goiás, seguranças do Palácio da Esmeraldas agrediram em março o jornalista Cristiano Silva. O governafor Ronaldo Caiado até hoje não se manifestou sobre o assunto. Os agressores foram identicados com a ajuda de vídeos de câmeras de segurança gravados em  prédios vizinhos aos local da selvageria. São eles o capitão Diogo Albernaz Resende, o tenente Resende e o cabo Valverde, todos lotados no Gabinte Militar do governo de Goiás.

“Liberdade de expressão é requisito fundamental e a liberdade de imprensa é prezada como um todo. O que pedimos, exatamente, é que mostrem todos os lados. Qualquer tipo de agressão a jornalistas, isso é opinião minha e do governo, ela tem de ser apurada. E ela é inadmissível”, disse Braga Netto.

O ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, concordou com Braga Netto. Ele disse que Bolsonaro “se mostrou bastante aborrecido” com a agressão. “É o que ele fala, ele não controla esse pessoal todo”, disse Ramos.