Culpa de Caiado e João do Léo: com o desemprego na cadeia do turismo, centenas de famílias vivem dias de incertezas em Pirenópolis

Antes da pandemia num período, Goiânia se esvaziava com um feriado prolongoado como este do Corpus Cristi. As famílias viajavam para descanso e um dos principais destinos em Goiás era Pirenópolis.

A cidade chama atenção pelas belezas naturais, como cachoeiras e trilhas pela mata. Sem a presença de turistas, há a ausência de empregos.

Camareiras, garçons, atendentes e tantas outras pessoas sonham com a passagem do coronavírus e o retorno da normalidade. Com a pandemia, o feriado prolongado não produz efeito algum na cidade.

Pirenópolis está fechada. O prefeito João do Léo e o governador Ronaldo Caiado tomaram medidas duras para conter o avanço da Covid-19 e a cadeia do turismo acabou muito prejudicada.

Sem emprego, as famílias dos trabalhadores do setor de turismo vivem um dia de cada vez, com a esperança que haja logo uma luz no final do túnel da pandemia. (Com informações do Diário de Goiás)