Mabel demolidor no programa Polithéia: “Caiado teve 100 dias para instalar leitos de UTI e não fez nada. A culpa pelas mortes é dele”

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), Sandro Mabel, detonou o governador Ronaldo Caiado no programa Polithéia, que foi ao ar na noite desta segunda-feira (29) na Fonte TV, sob o comando do jornalista Luiz Gama.

Mabel disse que o governo Caiado recebeu quase R$ 300 milhões do governo Bolsonaro e teve 100 dias de isolamento social para instalar leitos necessários de UTI para atender os pacientes de covid-19, mas não fez nada.

“Ele teve quase seis meses para equipar a rede pública de saúde para o coronavírus e ficou fazendo graça, trazendo avião com doentes”, atacou.

De acordo com o presidente da Fieg, Caiado chegou mesmo a oferecer leitos para outros estados, fazendo média para aparecer na imprensa e beneficiar as OSs.

Mabel disse que as OS queriam os hospitais cheios para justificar os contratos milionários firmados sem licitação nos hospitais de campanha. “”Tem rolo nisso aí”, apontou.

“As mortes da covid-19  são da responsabilidade exclusiva dele e não dos prefeitos”, afirmou Mabel, acrescentando que Caiado não é gestor, nunca trabalhou na vida “e agora tenta tirar o corpo fora na covardia”.

O presidente da Fieg sublinha que “Caiado não fez planejamento, não agiu, ficou só na conversa e não preparou o estado para enfrentar a covid-1”.

“As mortes devem ser atribuídas ao governador e a mais ninguém. A culpa é dele”, finalizou.