AD

Articulação de Wilder garante retomada segura da economia em Goiás

Ex-senador e ex-secretário de Indústria, Comércio, o empresário Wilder Morais (PSC) teve papel decisivo sobre a retomada das atividades econômicas, sem previsão para novo fechamento, na próxima terça-feira (14).
A retomada se dará uma semana após ele intermediar uma reunião entre representantes do setor produtivo goiano e o governador Ronaldo Caiado.
Até então, as decisões do governo estadual não estavam agradando grande parte do setor produtivo, parado por mais de 120 dias por causa da pandemia do novo coronavírus.
“Nesse momento difícil para todos não há espaço para a intransigência. Por isso me vejo na obrigação de fazer a intermediação para selarmos um pacto entre o governador Ronaldo Caiado e o setor produtivo de Goiás. Avançamos numa reunião com representantes do empresariado e o governador. Nossa proposta é construir uma solução entre empresários e o Governo do Estado que seja capaz de conciliar cuidados com a saúde com retomada da economia”, disse Wilder Morais sobre a reunião que reuniu cerca de 20 representantes do setor. “O setor produtivo se comprometeu em monitorar e a ajudar para que não volte a fechar”, acrescentou.
Os efeitos do encontro liderado por Wilder tiveram efeitos imediatos. Na mesma semana, o governador Ronaldo Caiado se reuniu com o prefeito de Goiânia, Iris Rezende, para tratar da retomada das atividades. O governador chegou a gravar um vídeo em que destacou que terça-feira as atividades serão retomadas, mas com responsabilidade. “O protocolo está sendo escrito aqui para a capital, com a participação do prefeito, da sua equipe, com a nossa equipe para que possamos abrir e continuar com a responsabilidade de diminuir cada vez mais a contaminação dos pacientes. É contando com a participação da população de todos nós, para enfrentarmos a pandemia e a partir da terça-feira que estaremos voltando as atividades, mas com muita responsabilidade”, disse o governador.
Um novo decreto deve ser publicado nesta segunda-feira (13) com as novas regras. No documento, não haverá nenhuma data de fechamento, salvo se o sistema de saúde entre em colapso com uma aceleração aguda das contaminações por covid-19. Entre as atividades que estarão liberadas para a retomada estão bares, restaurantes e celebrações religiosas.
“Após 120 dias fechados, a expectativa é grande pela reabertura. Acredito que seja de extrema importância a partir de agora entender a relevância de voltar à rotina com segurança e cumprindo os protocolos”, disse Fernando Jorge, presidente da Abrasel Goiás.
Lojas de rua, shoppings e o comércio da Região da Rua 44 também estarão liberados. O decreto da prefeitura de Goiânia deve seguir os parâmetros do estadual.
Os efeitos da reunião intermediada pelo ex-secretário Wilder Morais foram sentidos pelos líderes das entidades representativas. Segundo Jairo Gomes, presidente da Associação Empresarial da Região da 44 (AER44), o governo estadual e a prefeitura de Goiânia voltaram a estabelecer um diálogo bastante produtivo para que o comércio na capital volte a funcionar de forma continuada, mas adotando rigorosos protocolos de saúde e sanitários.
“Tanto o prefeito Iris Rezende quanto o governador Ronaldo Caiado se manifestaram nos últimos dias bastante sensíveis com a situação do comércio em Goiânia, que vive uma situação angustiante de empresas que já não conseguem recuperar seus prejuízos e de demissões em massa. Os empresários querem sim preservar vidas, isso é inquestionável, mas é preciso que as empresas mantenham um mínimo de atividade para que empregos sejam mantidos, evitando problemas graves num cenário pós-pandemia. A fome já bate à porta de muitas famílias que dependem da 44, e isso não pode deixar de ser visto pelo poder público, mesmo neste momento, que sabemos, é delicado”, disse Jairo.