Wilder terá como uma das bandeiras de campanha a geração de emprego e retomada da economia

O pré-candidato a prefeito de Goiânia pelo PSC, Wilder Morais, terá como uma das bandeiras nas eleições deste ano a geração de emprego.
O ex-senador afirma que qualquer ação social depende da geração de emprego e renda. “Você não melhora a vida das pessoas nos bairros se não criar condições para que elas tenham emprego”, ressalta.
Wilder Morais, que liderou até junho deste ano a Secretaria de Indústria e Comércio de Goiás, prevê dividir a capital goiana em sete regiões econômicas. “Vamos desenvolver cada região para que os moradores tenham oportunidades de trabalho sem precisar se locomover para longe de suas casas”, explicou Wilder. Segundo o ex-senador, em cada uma das regiões terá uma subprefeitura.
Uma das regiões que chama a atenção do pré-candidato é o Centro de Goiânia. “O Centro da cidade está uma calamidade. Um centro bonito, uma arquitetura definida, mas com uma dificuldade muito grande”, disse Wilder. “Onde era um comércio forte, hoje é o desemprego e lojas fechadas”, acrescentou.
Wilder quer transformar, segundo ele, o Centro da capital no maior shopping aberto do País. “Digo isso porque já foi assim no passado”, ressalta. Além disso, o ex-senador vê possibilidades em transformar o local em um polo gastronômico. “A Rua Três tem seis metros de calçada. O goiano gosta tanto de ficar na rua, imagina a oportunidade de fazer um polo gastronômico ao longo da Rua Três. Isso é uma economia fácil e todo o projeto se converge ao Centro”, exemplificou.
Wilder Morais também quer aliar a vocação para grandes eventos de Goiânia com a geração de emprego e renda. Ele afirma que o setor está sendo muito atingindo pela pandemia e que é preciso um plano para auxiliar o setor. “Veja, por exemplo, a situação das empresas de eventos, dos bares e restaurantes. Tudo parado há muito tempo. Goiânia tem grandes eventos, como Villa Mix, Festeja, Boteco do Gusttavo Lima e Deu Praia. Somos a cidade da música. Isso atrai turistas e nós, na prefeitura, vamos apoiá-los de verdade”, afirma Wilder.