Deputado critica servidores públicos de Goiás que receberam auxílio emergencial indevidamente

O deputado federal José Nelto (Podemos), criticou a postura de servidores públicos dos municípios goianos que receberam, de forma indevida, o auxílio emergencial. Segundo dados levantados pelo Tribunal de Contas dos Municípios do Estado de Goiás (TCM), em parceria com a Controladoria Geral da União (CGU), mais de 14 mil funcionários são suspeitos de terem recebido o benefício.
“Quando falo em combate à corrupção, me refiro a todo tipo. Não limito à classe política ou aos três poderes. O combate a essa erva daninha deve acontecer também na sociedade civil. É no mínimo vergonhoso o que esses funcionários fizeram”, disse José Nelto.
Esses servidores podem ser criminalizados por falsidade ideológica e estelionato, caso tenham declarado ou inserido informações falsas no sistema de solicitação do auxílio. Para José Nelto, essa conduta “beira o ridículo” e é injustificável.
“Se o cidadão está trabalhando, automaticamente não tem mais direito ao benefício. Se são agentes públicos, vejo uma má fé ainda maior. Agora eles podem ser acusados criminalmente, e ainda serem penalizados por infrações disciplinares. É triste ver o quanto existem pessoas que querem se dar bem a qualquer custo”, afirmou.
Se comprovado o recebimento indevido, o agente público terá de fazer a devolução do valor recebido e comprovar o reembolso. “Espero que todos tenham o mínimo de bom senso e devolvam o dinheiro o quanto antes. Enquanto esses agentes se apossaram do dinheiro sem terem direito, milhares de brasileiros estão contando com esse benefício para não passar fome. É preciso mais empatia e um olhar mais humano com o próximo”, finalizou.