Concessão da BR-153, no Norte de Goiás, deve sair ainda em 2020. José Nelto batalhou pelo benefício

A BR-153, no trecho entre Anápolis e Porangatu, está dentro da rodada de uma nova carteira de 5.300 quilômetros de rodovias a serem concedidas para a iniciativa privada. A informação foi confirmada ao governador Ronaldo Caiado pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, durante inauguração das obras de restauração e adequação do Anel Viário de Goiânia e Aparecida de Goiânia, nesta semana.

“Estamos aguardando somente a deliberação do Tribunal de Contas da União (TCU) para fazer a concessão da BR-153 de Goiás para o Tocantins, que vai ter na sua primeira fase a duplicação do trecho da 153 no território goiano”, afirmou o ministro. A previsão é que ainda este ano o tribunal emita o parecer, notícia que foi comemorada pelo governador: “A duplicação entre Anápolis e Porangatu é nosso grande sonho”, frisou Caiado.

A BR-153, conhecida como Belém-Brasília, é uma importante via de acesso à região Norte do país e faz ainda a ligação com o Centro-Sul do Brasil. Caiado considerada a rodovia um eixo, a “coluna vertebral” necessária ao escoamento da produção goiana e nacional. “É fundamental termos a duplicação, que sem dúvida alguma propiciará um transporte seguro e salvará vidas pelo fluxo que tem”, acrescentou o governador.

Segundo Tarcísio de Freitas, o governo federal trabalha para dar provisão e colocar Goiás na infraestrutura nacional. “É um Estado rico, onde a mineração avança e o agro já é muito importante e vai crescer ainda mais. E, com o governo (Jair) Bolsonaro, logística não faltará. O presidente observa Goiás, seu potencial e tem trabalhado incessantemente para trazer infraestrutura para o nosso setor produtivo”, completou.