Absurdo: Clécio defende vereadores faltosos e diz que salário “não é tão alto assim”

Vereador Paulo Magalhães: exigência de assiduidade
Vereador Paulo Magalhães: exigência de assiduidade

O presidente da Câmara Municipal, Clécio Alves (PMDB), voltou a defender os colegas faltosos – e são muitos – na sessão de hoje. Clécio diz que não tem autoridade alguma para exigir assiduidade dos pares, porque o salário pago aos vereadores de Goiânia “não é tão alto assim”.

“Recebemos menos que os vereadores de Rio Verde e de Aparecida”, afirmou Clécio. “Não é função desta presidência exigir que os nobres pares cheguem em hora determinada”.

Ocorre que as sessões ordinárias, que deveriam ser abertas de terça a quinta-feira às 9 horas, começam sempre com atraso por falta de quórum. Daí, matérias importantes não são apreciadas e o trabalho vai sendo levado pela barriga.

Paulo Magalhães (PV) exige de Clécio que cobre assiduidade na Câmara. “O vereador não é diferente do funcionário público e das domésticas. Tem que cumprir horário, pelo menos três vezes por semana”, afirmou Paulo, que propôs emenda ao regimento interno para adoção do ponto eletrônico na Casa.

Por que Clécio não adota o ponto? Ele não disse.